POLÍCIA DESARTICULA QUADRILHA QUE EXTORQUIA COMERCIANTES DE BETIM; LÍDER ATUAVA DE DENTRO DA PRISÃO

A Polícia Civil (PC) desarticulou nesta quarta-feira (3) uma quadrilha que extorquia comerciantes e moradores do bairro Jardim Teresópolis, em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Os crimes estariam acontecendo desde outubro do ano passado e eram articulados por um traficante de 36 anos que está preso na Penitenciária Nelso Hungria, em Contagem. 

De acordo com a PC, o grupo cobrava valores em dinheiro dos lojistas para que, em troca, os estabelecimentos da região não fossem assaltados. Dependendo do tamanho do comércio, eram cobradas taxas mensais entre R$ 500 e R$ 1.000. A polícia informou que, em novembro do ano passado, um supermercado chegou a ser incendiado porque o proprietário não pagou a "mensalidade".

O crime funcionava da seguinte forma: de dentro do presídio, o líder da quadrilha dava as ordens por meio de áudio em grupos de WhatsApp e três adolescentes ficavam encarregados de fazer as cobranças e cometer os crimes contra os comerciantes que não pagavam as taxas.

“A organização se propunha a fazer o papel do Estado para esses comerciantes e moradores. Mas o que eles estavam fazendo era tentar auferir ganhos. Como não conseguiram, começaram a praticar roubos na região”, explicou o delegado Thiago Machado, responsável pela investigação.

Além da analisarem vídeos de assaltos cometidos, os policiais da Delegacia de Polícia Civil de Repressão às Ações Criminosas Organizadas colheram depoimentos de, pelo menos, quatro comerciantes vítimas do grupo. Segundo a PC, alguns moradores se negaram a reconhecer os membros da quadrilha com medo de represálias. 

Ao todo, foram cumpridos oito mandados de busca e três mandados de prisão preventiva. Além disso, o líder da organização criminosa, que já estava preso - condenado a mais de 13 anos por homicídios, tráfico de drogas e organização criminosa - também teve mandado de prisão preventiva cumprido por extorsão. A mãe dele, suspeita de participar do esquema criminoso, também é investigada.

Fonte: Jornal Hoje em Dia