RADIALISTA É PRESO POR ESTUPRAR MULHER E ADOLESCENTE NO NORTE DE MINAS

Um radialista da cidade de Lassance, no Norte de Minas, foi preso preventivamente na manhã desta quinta-feira (21) pela Polícia Civil (PCMG). Ele é suspeito de estuprar uma adolescente de 14 anos e uma mulher de 21 dentro de sua casa, no bairro Barreiro, onde funciona uma rádio.

Segundo o delegado Guilherme Vasconcelos, ao serem realizadas buscas em sua residência, foram localizadas várias roupas femininas, algumas inclusive com etiquetas, um sapato, cremes hidratantes e diversos preservativos. “Ele oferecia presentes, como sapatos, roupas e até cestas básicas, aproveitando o grau de miserabilidade das vítimas”, disse.

“Diante da recusa das vítimas, ele coagia, até por meio de uma faca, afirmando que nada aconteceria com ele porque ele tinha a rádio, com um alcance muito grande, conhecia pessoas importantes, e que ninguém iria acreditar na palavra da vítima”, concluiu.

 

O CRIME

No dia 26 de outubro deste ano, a vítima maior de idade contou que foi para a casa do suspeito para trabalhar de doméstica e baixar músicas para a sua rádio. Enquanto ela estava na casa, ele teria dito que era sócio de uma clínica de estética, e sabia aplicar produtos de beleza nas pessoas.

Então, ele disse à vítima que iria ensiná-la a passar esses cremes, para ela também ficar apta a trabalhar com isso. Quando eles chegaram ao quarto, o autor afirmou que tinha uma faca, e que se ela gritasse ninguém iria escutar, além da casa estar trancada. Logo após, ele ordenou que ela ficasse nua para ele passar os cremes em seu corpo, e a estuprou.

Após cometer o ato, o radialista disse que assim que ela terminasse seu namoro, com um homem de 33 anos, “tentaria algo” com ela. Além disso, ele afirmou que não iria adiantar ela falar sobre o que aconteceu no quarto, pois ele era uma pessoa influente na cidade.

 

VERSÃO

Na época, o suspeito contou à polícia que a vítima pediu um emprego a ele. Que então disse que teria uma vaga para ela em sua rádio, mas negou que tenha cometido algum ato ilícito, e que só mostrou como funcionavam os equipamentos para ela trabalhar.

De acordo com a PCMG, o suspeito, que já foi candidato a vereador no município teve a sua prisão preventiva decretada porque, durante as investigações,  foram localizadas outras vítimas que narraram de forma idêntica a ação do autor. Uma dessas pessoas seria uma adolescente de 14 anos.

 

Fonte: Jornal O Tempo