POLÍCIA PRENDE DOIS SUSPEITOS DE ENVOLVIMENTO EM FRAUDE DE R$ 160 MI

A Polícia Civil prendeu na manhã desta quinta-feira (1º) dois dos principais membros de uma quadrilha suspeita de lavagem de dinheiro e fraudes em Belo Horizonte. De acordo com o órgão, a organização criminosa comandada por um advogado e um administrador de empresas, teria faturado, em cinco anos R$ 160 milhões com abertura e fechamentos de empresas-fantasmas em nomes de empresários que não sabiam do esquema. Essa foi a terceira fase da “Operação Apate”.

Segundo o delegado Vinícius Dias, os homens aplicaram golpes em instituições financeiras por meio de empresas fictícias. Até o momento, mais de oito pessoas foram presas e 40 mandados de busca e apreensão foram expedidos.

Departamento Estadual de Fraudes. “A prisão preventiva desses dois membros objetivou desestruturar toda a desorganização criminosa que foi montada ao longo destes quatro, cinco anos, porque eles eram os principais articuladores e mentores dos estelionatos, das inúmeras fraudes processuais para construção de vários consórcios em nome dos principais empresários de Belo Horizonte e Minas Gerais.”

De acordo com Dias, os homens eram monitorados há mais de um mês, mas por mudarem frequentemente de local, as prisões eram dificultadas. Os dois homens foram encontrados nesta manhã na casa da mãe de um deles no bairro Eldorado, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte.

 

Fonte: Jornal O Tempo