POLÍCIA CIVIL REALIZA OPERAÇÃO CONTRA O TRÁFICO EM ESCOLAS PÚBLICAS E PRIVADAS

Policiais civis de todo o Brasil realizam a operação “Anjos da Lei”, cujo objetivo é o combate ao tráfico de drogas em escolas e nas imediações de colégios particulares e públicos de todo o país.

Em Minas Gerais, agentes da Polícia Civil iniciaram os trabalhos no começo da manhã desta terça-feira (13). Até o momento, 21 pessoas foram presas e 25 adolescentes apreendidos.

De acordo com o Superintendente de Investigação de Polícia Judiciária, Carlos Capristrano, cerca de 200 autos de busca e apreensão e prisão estão sendo cumpridos nos 853 municípios de Minas Gerais.

“Estamos articulando a operação há cerca de dois meses. Com os mandados expedidos, conseguimos, muitas vezes, arrecadar outros materiais que as vezes não dão a prisão por tráfico de droga, como, por exemplo porte, ou a posse de uma arma irregular. Já foram apreendidas três armas de fogo até agora”.

O tráfico de drogas na porta de escolas envolve, segundo o superintendente, uma rede que capta alunos e os transforma em usuários ou traficantes.

“Essa é uma modalidade criminosa que preocupa a Polícia Civil. Normalmente o tráfico de drogas acontece pela aliciação de menores, venda nas imediações, contato com os alunos para revender na porta de escolas”, afirma Capristrano.

“Além dos presos e conduzidos apreendemos já algumas porções de droga. As mais comuns maconha e cocaína, além de três armas de fogo”, detalhou Capristrano.

Pena para tráfico em porta de escola é maior

O gosto por novidades e descobertas que marcam a fase adolescência são ganchos para que traficantes arrastem adolescentes para o mundo do tráfico, segundo a delegada Isabella Oliveira, da Divisão Especializada de Orientação e Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca).

“Traficantes se aproveitam dessas circunstâncias para incluir esse adolescente no mundo do tráfico. Os pais devem conversar muito com os filhos para evitar esse contato inicial com a droga e caso já seja usuário, realizar o tratamento da dependência”, recomenda.

A delegada relembra o caso de um garoto de sete anos que foi flagrado em uma escola municipal da capital, com pedras de crack e dinheiro na mochila no último dia.

“A droga era do irmão dessa criança. O intuito da operação de hoje é justamente inibir a ação desses traficantes que aliciam cada vez mais esse público. O movimento é grande de pessoas no local e eles se aproveitam disso”, afirma.

Ainda segundo Oliveira, a pena para quem for pego vendendo drogas é de 5 a 15 anos. Nos casos em que esse crime for cometido em escolas ou nos arredores, haverá agravante e aumento em 1/6 a 2/3 na pena.

Brasil

Em todo o território nacional foram presas 166 pessoas nesta terça-feira, sendo 74 em flagrante, além de 21 adolescentes apreendidos.

 

Fonte: Jornal O Tempo