POLÍCIA APREENDE UMA TONELADA DE MACONHA NA CASA DE AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS

Um homem de 39 anos foi preso nessa segunda-feira (25) com mais de uma tonelada de maconha armazenada em casa, em Ravena, distrito de Sabará,  na região metropolitana de Belo Horizonte. A droga estava distribuída em 1.247 barras. O homem, que não tem antecedentes criminais e trabalha com carteira assinada para uma prestadora de serviços de manutenção de ar condicionado, teria sido contratado pelos criminosos para ser o vigia das drogas.

Apesar da função no mundo do crime, ele foi preso enquanto fazia a manutenção de ar condicionado em um prédio público, nas redondezas da avenida Cristiano Machado, que não tem qualquer ligação com a ocorrência. 

De acordo com o delegado da Polícia Civil, Rodolpho Tadeu Machado, as investigações tiveram início há cerca de 30 dias e a droga seria fracionada e distribuída na região metropolitana. 

“A droga estava em uma região de pequenos sítios, em uma casa simples, de três cômodos. Fazendo buscas na residência, nós identificamos quem seria o proprietário do imóvel e esse indivíduo foi capturado. A gente acredita que o foco da venda dessa droga é a região metropolitana de Belo Horizonte, em especial o vetor Norte da capital e outras cidades como Sabará, Vespasiano e Santa Luzia”, explicou o delegado. 

O delegado conta que após ser preso o homem negou que as drogas seriam dele e chegou a criar uma história para tentar escapar de ser preso. 

“Ele inventou uma história de que perdeu as chaves e alguém simplesmente guardou essas drogas lá. Disse que não ia à residência há cinco dias”, pontuou o delegado. 

O chefe do Departamento Estadual de Combate ao Narcotráfico (Denarc), Júlio Wilke destaca que casos como esse tem sido cada vez mais comuns, onde os traficantes tem tentado seduzir pessoas sem qualquer antecedentes criminais para auxiliar na logística do tráfico no Estado. 

“As investigações estão apontando que os grandes traficantes estão corrompendo pessoa sem antecedentes, para guardar as drogas. A pessoa acaba sendo seduzida ela proposta e sucumbe. É triste porque a pessoa que só trabalhava, tinha uma vida digna, acaba entrando dentro de uma organização criminosa, de tráfico de drogas, de grande quantidade”, lamentou o delegado. 

O preso pode responder por associação ao tráfico de drogas. A Polícia Civil informou que as investigações vão prosseguir, até que todos os membros da quadrilha sejam identificados.

Fonte: Jornal O Tempo