PCMG DESARTICULA QUADRILHA DE ROUBOS A BANCOS NA REGIÃO CENTRO-OESTE

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) realizou, na manhã dessa terça-feira (6), mais uma etapa da Operação Força Tarefa, no Centro-Oeste do estado. Os trabalhos tiveram como objetivo desarticular uma quadrilha de roubo a bancos. Amarildo Barroso da Silva, de 38 anos, Samuel Rezende Guimarães, de 25, e Marcos Antônio Junior Gonçalves dos Anjos, de 19, foram presos durante as investigações. Daniel Leandro dos Santos, de 31 anos, era o suspeito de liderar o grupo, porem foi morto durante uma troca de tiro com policiais no dia 18 de janeiro deste ano. Outro suspeito de integrar a quadrilha, Junior Alves dos Santos, de 21 anos, está foragido.

Durante três meses de investigações, policiais civis do Departamento Estadual de Operações Especiais da Polícia Civil (Deoesp) identificaram vários crimes cometidos pelos suspeitos. No dia 5 de julho de 2017, o grupo realizou um assalto em uma agência do Banco SICOOB em São José da Varginha. Já no dia 10 de janeiro deste ano, a quadrilha teria cometido outro assalto em uma agência do mesmo banco, na cidade de Pequi. Além disso, os suspeitos teriam cometido outros crimes naquela região, incluindo homicídios e tráfico de drogas.

Os investigadores conseguiram levantar informações sobre os suspeitos, que eram temidos pelos munícipes de Papagaios e Pitangui, além de descobrir que um dos suspeitos já havia atentado contra a vida de policiais civis e militares. O Delegado responsável pelo caso, Felipe Freitas, informou que um dos suspeitos já estava respondendo na Justiça por outros crimes. “Amarildo Barroso já estava preso pelo cometimento de roubo e de homicídio e estava em regime semiaberto, direito que foi concedido pela Justiça com o intuito de conseguir algum emprego ou trabalho para o indivíduo. Porém, ao invés de se adaptar e se ressocializar, ele voltou para o mundo do crime e foi preso novamente pela nossa equipe”, concluiu.

Durante as investigações, policiais civis compareceram a um sítio no dia 27 de janeiro, na zona rural de Pompéu, local onde estariam guardados materiais ilícitos da quadrilha, como armas de fogo de uso restrito. No decorrer dos trabalhos, alguns materiais foram apreendidos, entre eles aparelhos celulares, revólver e munições. Os presos foram encaminhados para o Sistema Prisional e se encontram à disposição da Justiça.

Fonte: PCMG