MULHER VOLTA A SER PRESA APÓS LAUDO APONTAR QUE ELA MATOU O MARIDO COM REQUINTES DE CRUELDADE EM MG

Uma mulher voltou a ser presa nesta quinta-feira (8) em Passos (MG) suspeita de matar o marido. O crime, que aconteceu em fevereiro, foi tratado no início como legítima defesa. Mas depois que a perícia ficou pronta, a polícia descobriu que a vítima foi morta com requintes de crueldade. O motivo seria ciúmes que a mulher tinha do marido com a irmã dela.

"A vítima teria trocado mensagens via Whatsapp e via Facebook com a irmã de Nayara, provocando ciúmes", contou o delegado Marcos Pimenta.

Nayara Aparecida Silva de Paula, de 26 anos, foi presa na casa de um parente no bairro Carmelo. O crime aconteceu no bairro Califórnia, no dia 21 de fevereiro. Ivan Antônio da Silva, de 37 anos, foi morto na casa onde morava a mulher. O casal tinha uma filha e vivia um relacionamento conturbado.

No dia do crime, Nayara assumiu que matou o companheiro. Ela foi presa em flagrante e alegou legítima defesa ao ser levada para a delegacia. Ela já tinha registrado vários boletins de ocorrência contra o marido por agressão. A mulher chegou a ficar presa por três dias, mas depois foi liberada.

"O laudo de levantamento de local, o perito que compareceu ao local foi categórico ao afirmar que a vítima estaria dormindo de costas quando recebeu o óleo quente fervendo em seu corpo, levantou-se atordoado e recebeu diversos golpes de faca, ao todo 20 golpes", completou o delegado.

A mulher foi levada para o Presídio de Passos.

 

Fonte: G1