LEI SANSÃO: MULHER É PRESA POR MAUS-TRATOS A CÃES DE ESTIMAÇÃO EM BH

Em menos de 48 horas após o presidente Jair Bolsonaro sancionar a "Lei Sansão", que aumenta a pena para quem maltratar cães e gatos, a Polícia Civil prendeu, na manhã desta quinta-feira (1), uma mulher de 37 anos por suspeita de maus-tratos aos animais dela no bairro Heliopólis, na região Norte de Belo Horizonte. Cães, gatos e galinhas estavam em um terreno do imóvel. Esta é a primeira prisão do país pela Lei Sansão.

Quatro cães estavam prostrados, com bicheira e não conseguiam se alimentar.

"Os cães estavam muito fracos fisicamente. É um terreno grande, com uma empresa e a tutora que mora nos fundos", explicou o delegado Luís Otávio.


LEI SANSÃO

O texto original da lei é do deputado mineiro Fred Costa (Patriota). O político acompanhou a ação desta quinta-feira e postou em redes sociais as fotos dos animais. 

Nessa terça-feira (29), Bolsonaro recebeu a Sansão e os tutores no Palácio do Planalto, em Brasília.

Durante a sanção, o presidente chegou a dizer "au au". "Não sei se o Sansão vai entender aqui: au, au. Quer dizer: parabéns, Sansão!", disse Bolsonaro. 

A lei foi divulgada no Diário Oficial da União (DOU) nessa quarta-feira (30). 

Agora, quem maltratar, ferir ou mutilar animais de estimação pode cumprir pena de dois a cinco anos de reclusão. 


CASO SANSÃO

O caso, que aconteceu no dia 6 de julho, ganhou repercussão nacional. O animal tomava conta de uma fábrica de ensacados quando foi agredido pelo funcionário de uma empresa ao lado, às margens da MG-424, em Confins, na região metropolitana de Belo Horizonte.  A Polícia Militar foi acionada, o homem de 44 anos, foi conduzido e liberado. 

Em conversa com a reportagem de O Tempo, no dia 7 de julho, o agressor contou que, constantemente, Sansão pulava o muro e atacava os animais dele. O cão ficou internado por 19 dias e, atualmente, se recupera na casa dos tutores. 

O agressor foi multado, demitido da empresa em que trabalhava e caso foi encaminhado ao Ministério Público. No dia 29 de setembro, o órgão apresentou denúncia contra o homem pelas agressões a Sansão e a outros 12 animais. 

Fonte: Jornal O Tempo