GERENTE DO TRÁFICO NO AGLOMERADO DA SERRA É PRESO EM LAGOA SANTA, NA RMBH

Um homem de 33 anos suspeito de gerenciar o tráfico de drogas no aglomerado da Serra, na região Sul de Belo Horizonte, foi preso pela Polícia Civil em uma casa de luxo em Lagoa Santa, na região Metropolitana. Segundo as investigações que tiveram início há cerca de um ano, o homem conhecido como “Alemão” é integrante da Organização Terrorista do Cafezal (OTC) que tem a cocaína como principal droga traficada.

De acordo com o delegado Vinícius Dias, o suspeito teria montado um grande esquema empresarial para administrar e lavar o dinheiro obtido por meio do tráfico. “Esse indivíduo tornou o tráfico de drogas uma gestão empresarial, porque ele passou a não movimentar mais e não ter um contato direto com a substância proibida, ou seja, com a droga. Ele apenas gerenciava as bocas de fumo. Ele recolhia o dinheiro e pagava as pessoas da região do aglomerado”, explica.

As investigações apontaram que não satisfeito em fazer parte do esquema criminoso, Alemão chegou a iniciar a  faculdade de administração para ter mais conhecimento e aprimorar o gerenciamento do tráfico. Ainda segundo a Polícia Civil, o suspeito chegou a criar uma loja de roupas para lavar parte do dinheiro que recebia no esquema. Nas contas da polícia, nos últimos cinco anos Alemão movimentou em torno de R$ 10 milhões com o tráfico.

“A gente percebeu que a marca dele começou a tomar um crescimento na região do aglomerado e percebemos que ele se utiliza de algumas pessoas, como MC’s, pessoas que tinham alguma certa visibilidade social para divulgar a marca e o produto, justificando o dinheiro adquirido através das drogas”, explicou.  

Outro fato que chamou a atenção dos investigadores é de que na cabeceira da cama do suspeito, foi encontrado um livro sobre a vida do famoso traficante colombiano, Juan Pablo Escobar. Segundo as investigações, o suspeito se inspirava em Escobar para implementar uma gestão empresarial no tráfico do Aglomerado da Serra.

A investigação também aponta que a alta capacidade de gestão foi determinante para que o suspeito pudesse crescer dentro da organização criminosa. “Os membros (chefes) dessa organização estão presos há aproximadamente cinco anos. E foi se percebendo que a ascensão dele dentro da organização se viabilizou pela capacidade de gestão dele”, explica.

Alemão foi preso enquanto saía de casa, com a companheira, para ir à academia. “É uma casa extremamente confortável, com piscina, cascata, dois andares e você percebe que a vida dele era extremamente tranquila e favorável”, afirmou o delegado. De acordo com o delegado, as investigações vão continuar e outras pessoas podem ser presas por suspeita de envolvimento no esquema. Alemão vai responder por tráfico de drogas, organização criminosa, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica.

Fonte: Jornal O Tempo