'POLÍCIA CIVIL ESTÁ SUCATEADA E PRECISA SER REESTRUTURADA'

O candidato ao governo de Minas Gerais e presidente da Assembleia Legislativa (ALMG), Adalclever Lopes (MDB), criticou a atual estrutura da Polícia Civil, que, segundo ele, está completamente sucateada. Ele afirmou que o Estado precisa investir em inteligência se quiser enfrentar o problema da violência.

O emedebista disse que, se for eleito, vai fazer um programa de reestruturação da Polícia Civil, principalmente com relação à infraestrutura atual. “A corporação foi sucateada. Não tem equipamento de ponta nenhum. Chegamos a ter um dos melhores institutos de criminalística, um dos primeiros a fazer exames de DNA no Brasil. Hoje, perdemos essa estrutura, perdemos o banco de peles”, afirmou.

O presidente da ALMG também afirmou que não há outra saída para melhorar a segurança pública que não seja investir na inteligência. “É preciso criar estrutura para que as investigações avancem e os crimes sejam solucionados”, disse.

Sobre a integração das polícias Civil e Militar, Adalclever Lopes declarou que é uma utopia, pois são corporações distintas. “Não tem que se falar em integração das polícias, são trabalhos distintos. O que é preciso fazer é uma integração da inteligência. Elas podem cooperar dentro do sistema, mas cada uma no seu papel”, completou o candidato.

Adalclever Lopes também demonstrou preocupação com a chegada de organizações criminosas de outros Estados. “Estamos vendo a chegada de grupos criminosos a Minas, temos uma situação preocupante no Triângulo. A segurança é algo que terá muito importância no meu governo. Eu sei que, muitas vezes, o barulho que a gente mais gosta de ouvir é o da chave no portão de casa quando nossos filhos chegam”, analisou.

O presidente da Assembleia disse que a Polícia Militar também precisa de um maior investimento, mas que a situação da PM é melhor do que a da Polícia Civil. Ele afirmou que vai manter algumas atitudes adotadas pelo governo de Fernando Pimentel (PT) que deram resultado no combate à criminalidade. “A política de bases móveis foi bem-sucedida. Você aumenta a presença ostensiva da Polícia Militar, quando você traz os veículos, com um minigabinete para as ruas, com a população vendo a presença da polícia. Essa foi uma boa medida, que deu resultados e que nós vamos manter”, disse.

 

Fonte: Jornal O Tempo