'FAMÍLIA DO CRIME' É PRESA PELA POLÍCIA CIVIL POR TRÁFICO DE DROGAS

Uma família suspeita de tráfico de drogas nas cidades de Contagem e Esmeraldas, na região metropolitana de Belo Horizonte, foi presa pela Polícia Civil (PC), na sexta-feira (15). O grupo conhecido como "gangue da Loura" era composto por uma mulher, de 50 anos, seu filho, 23, sua filha, 25, o namorado de sua filha, 28, seu sobrinho, 23, e outras quatro pessoas, segundo a PC. 

As investigações do Departamento Estadual de Operações Especializadas (Deoesp) começaram em 2019, em Contagem, com foco em suspeitos de tráfico de drogas e se estenderam para Esmeraldas, onde os investigadores localizaram a "gangue da Loura". Segundo o delegado Thiago de Lima Machado, a chefe do grupo aliciou seus familiares para a prática de tráfico de drogas nessas duas cidades.

 

AS PRISÕES 

Agentes da PC detectaram o transporte de droga que seria feito pelos membros da facção de Esmeraldas para Contagem em um ônibus, na sexta-feira (15), e monitoraram a ação. "Devido à baixa quantidade de drogas que eles tinham, estavam fortalecendo as duas biqueiras. Nesse momento, conseguimos fazer a prisão de um indivíduo e de sua esposa, que saíram de Esmeraldas, e arremessaram a droga para o Japão, filho da Loura. Esse casal foi abordado e preso em flagrante", relata o delegado. 

As diligências prosseguiram, e os policiais fizeram a prisão do genro da chefe do grupo. Na ocasião, os suspeitos estariam transportando 28 pedras de crack, de acordo com a PC. 

O sobrinho da chefe da quadrilha permanece foragido, segundo a polícia. 

 

HISTÓRICO

Além do tráfico de drogas, os suspeitos podem estar envolvidos em sequestro, tentativa de homicídio e receptação. "Já eram conhecidos da Polícia Militar e da Justiça. O filho dela, de 23 anos, já foi preso por tráfico, se envolveu em tentativa de homicídio, e o genro dela também, já foram presos juntos em outras oportunidades. São investigados que desafiam a Justiça e mesmo sendo presos e processados continuam cometendo crimes", explica o delegado.

 

MUDANÇA DE CIDADE

O delegado Thiago Machado conta que o grupo atuava em Contagem e mudou o foco das ações para Esmaraldas por causa de um desentendimento. "Esse grupo era temeroso na região. Inclusive, houve uma desavença entre a loura e um rapaz que teria ateado fogo na casa dela, e essa pessoa foi sequestrada em abril, foi levada para um local, e há indícios de que ela seria executada, mas a Polícia Militar interveio", diz o delegado.

Depois dessa ocorrência em Esmeraldas, o grupo transferiu as atividades para Contagem, para fugir da polícia, onde ela teria continuado a comandar o tráfico de drogas, segundo o delegado. 

Fonte: Jornal O Tempo