Notícias Jurídicas

ASSEMBLEIA ACOLHE PEDIDO DE IMPEACHMENT DO GOVERNADOR FERNANDO PIMENTEL

A mesa da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) acaba de acolher, na tarde desta quinta-feira (26), em plenário, o pedido de Impeachment do governador Fernando Pimentel (PT).  A mesa também determinou a formação de uma Comissão Especial para dar parecer ao ato.

Os líderes dos partidos e blocos da Casa irão indicar os membros que vão compor a comissão para análise do pedido.

A peça entregue na Assembleia – que pede a cassação de Pimentel e a inabilitação para exercer função pública pelos próximos oito anos – foi baseada nas reportagens de O TEMPO, que vêm mostrando diversos atrasos pelo governo de Minas nos repasses devidos às prefeituras mineiras, a fornecedores do Estado e, mais recentemente, à Assembleia Legislativa.

O calote de R$ 300 milhões levou o Legislativo mineiro a atrasar o pagamento dos salários dos servidores comissionados e dos deputados. Segundo o autor do pedido, Pimentel teria cometido crime de responsabilidade.

“Já faz alguns meses que o governador Pimentel está atrasando os recursos financeiros destinados ao pagamento dos duodécimos dos servidores públicos do Estado. O governo está atrasando os recursos do Legislativo, já atrasou os dos servidores do Judiciário e, todas as vezes que ele faz isso, fere a Constituição Federal”, considera Mariel Marra, advogado autor da peça que ganhou notoriedade por propor, em 2016, o impedimento do presidente Michel Temer (MDB).

Segundo ele, o artigo 168 determina que os repasses sejam feitos no dia 20 de cada mês e que, todas as vezes em que há atrasos ou quando os valores são menores do que o devido, o governo do Estado pratica ato atentatório contra as Constituições Federal e Estadual. Na petição entregue na Assembleia, o advogado mineiro também cita o escalonamento dos salários dos servidores do Executivo, que recebem de forma parcelada desde o início de 2016.

 

Fonte: Jornal O Tempo


ADVOGADO GERAL DO ESTADO É INTIMADO A CUMPRIR DECISÃO DE ENTREGA DAS CADEIAS PÚBLICAS DIRIGIDAS POR DELEGADOS DE POLÍCIA CIVIL

O Juiz da 5ª Vara de Fazenda Pública Estadual, em atendimento a requerimento do Sindepominas, intimou pessoalmente nesta quinta-feira (14/04) o Advogado Geral do Estado para que, no prazo de 48 horas, comprove o cumprimento da decisão dos autos 2973417.32.2011.8.13.0024, onde determina que o Estado de Minas Gerais assuma todas as Cadeias ainda dirigidas por Delegados de Polícia.


PROGRESSÃO NA CARREIRA E OUTRAS MEDIDAS 44981/2008

Altera os Decretos nº 44.353, de  19   de julho de 2006, e nº 44.682, de 19 de dezembro de 2007.


VEJA LEGISLAÇÃO NA ÍNTEGRA



DECRETO Nº 45.735, DE 21 DE SETEMBRO DE 2011

Regulamenta o acesso ao Sistema de Registro Automático de Veículos - SRAV, de que trata a Lei nº 18.037, de 12 de janeiro de 2009.

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MINAS GERAIS, no uso de atribuição que lhe confere o inciso VII do art. 90, da Constituição do Estado, e tendo em vista o disposto na Lei nº 18.037, de 12 de janeiro de 2009,

DECRETA:

Art. 1º Este Decreto estabelece as normas e diretrizes que deverão ser observadas pelo Departamento de Trânsito de Minas Gerais - DETRAN-MG, na forma da Lei nº 18.037, de 12 de janeiro de 2009, para disponibilizar acesso ao Sistema de Registro Automático de Veículos - SRAV - e promover, com garantia de segurança técnica, jurídica e econômica, o registro de veículos novos no âmbito do Estado de Minas Gerais.

Parágrafo único. Para os efeitos deste Decreto, são considerados veículos novos aqueles destinados ao primeiro emplacamento.

Art. 2º O SRAV é o sistema computadorizado desenvolvido para possibilitar aos proprietários, na condição de adquirentes ou vendedores de veículos, e a despachantes nos termos da legislação vigente, a racionalização e agilização do prévio registro, emplacamento, selagem de placas e acompanhamento da respectiva tramitação do processo.

§ 1º Os proprietários mencionados no caput são:

I - locadoras de veículos;

II - empresas de transporte de carga e de passageiros; e

III - concessionárias de veículos.

§ 2º Os despachantes, para a habilitação perante o DETRAN e para o acesso ao SRAV, deverão estar associados a entidade cadastrada na forma da lei.

§ 3º A habilitação perante o DETRAN para acesso ao SRAV está condicionada à apresentação dos seguintes documentos:

I - Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica - CNPJ;

II - Cartão de Inscrição Estadual;

III - documentação referente à constituição da empresa, devidamente registrada na Junta Comercial do Estado de Minas Gerais - JUCEMG;

IV - comprovação de associação a entidade cadastrada na forma da lei, para o despachante; e

V - cartão ou token para certificação digital, nos termos da Medida Provisória no 2.200-2, de 24 de agosto de 2001.

§ 4º Os documentos referidos nos incisos I a IV do § 3º deverão ser apresentados em cópias autenticadas.

Art. 3º Ao DETRAN-MG, órgão gestor do SRAV, compete homologar o registro prévio, proceder ao registro e ao emplacamento eletrônico e autorizar aos usuários a operacionalização, no âmbito das funções autorizadas.

Parágrafo único. Fica expressamente vedada a selagem de placas para as pessoas constantes no § 2º do art. 2º, quando no exercício de representação de pessoa física ou pessoa jurídica diversa daquelas constantes nos incisos I a III do § 1º do art. 2º.

Art. 4º A operacionalização do SRAV fica vinculada, exclusivamente, à pessoa jurídica titular dos dados do cadastro prévio do veículo, ou autorizada, nos termos do art. 125 da Lei Federal nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, a inserir as especificações do veículo no Departamento Nacional de Trânsito - DENATRAN, através do sistema de Registro Nacional de Veículos Automotores - RENAVAM.

Parágrafo único. No caso da pessoa jurídica constante do § 2º do art. 2º, o acesso às funcionalidades do SRAV se da á com a apresentação da Nota Fiscal correspondente à operação, bem como documento emitido pelo terceiro adquirente, com firma reconhecida, sobre a responsabilidade civil e penal decorrente dos atos praticados pelo seu representante junto ao DETRAN-MG.

Art. 5º O SRAV deverá garantir, por seu gestor, a segurança na transação, o sigilo de dados e de informações e a privacidade, sendo vedada sua utilização por pessoa física ou jurídica não relacionada com o cadastro prévio do veículo, nos termos do art. 4º.

Parágrafo único. Os usuários do SRAV terão acesso, exclusivamente, aos dados referentes às operações por eles realizadas, ou aos veículos que lhes sejam faturados ou registrados na condição de proprietários conforme disposto no art. 2º deste Decreto.

Art. 6º A utilização do SRAV é facultativa e gratuita, ficando vedada, em qualquer circunstância, a cobrança de valores adicionais pelas pessoas jurídicas habilitadas, constantes do § 1º do art. 2º, à exceção daqueles referidos no art. 115 da Lei nº 6.763, de 26 de dezembro de 1975, que estabeleceu a Tabela D.

Art. 7º Compete ao DETRAN-MG proceder ao imediato impedimento técnico-operacional de acesso ao SRAV para a pessoa que descumprir os dispositivos deste Decreto ou suas normas complementares, que responderá pelos prejuízos decorrentes de ação que comprometa a Administração Pública.

Art. 8º O DETRAN-MG poderá editar normas complementares para a fiel execução deste Decreto.

Art. 9º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Palácio Tiradentes, em Belo Horizonte, aos 21 de setembro de 2011; 223º da Inconfidência Mineira e 190º da Independência do Brasil.

Antonio Augusto Junho Anastasia

Danilo de Castro

Maria Coeli Simões Pires

Renata Maria Paes de Vilhena

Lafayette Luiz Doorgal de Andrada

Jairo Lellis Filho


Jurídico

Modelo de Procurações